terça-feira, 11 de novembro de 2014

Evolution 3 em 5 Passos

A cada mudança de versão do Genexus temos sempre uma boa expectativa de que teremos muitas coisas novas para aprender e tambem para turbinar nossos projetos. Esta sensação causa certo calafrio, pois sempre precisamos nos organizar para aprender coisas novas, aumentar um pouco nosso esforço em ajustar as coisas nos projetos, enfim, coisas que somente a evolução tecnológica traz.

Buscando ajudar você na migração para esta nova versão, pelo menos conceitualmente, montei uma lista, que reflete sob o meu ponto de vista,  quais as principais inovações nesta nova versão.

Módulos

Genexus está ficando orientado a objetos? Na pratica o produto gerado atualmente ja é orientado a objetos, visto que os geradores programam as Classes, Namespaces, Objects, ..., nos respectivos códigos fonte.  A organização dos objetos dentro do Genexus não era 'muito' orientado a objetos até este momento.

Genexus Ev3 traz implementado um novo recurso que promete revolucionar a forma com que organizamos nossos projetos, e apesar de sentir a falta de alguns pequenos detalhes, é possível ver que já temos um recurso que vai muito além da nossa necessidade imediata. O nome deste recurso: MODULO, leia-se 'Encapsulação'.

Seu objetivo fundamental é organizar a KB de forma a agrupar objetos que pertençam a uma certa classificação ou funcionalidade, que você mesmo determina, isso com o objetivo de permitir que possamos gerenciar (ou proteger) melhor a informação manipulada por estes.

Um detalhe apenas, para frustrar o pessoal mais da antiga, Módulos não é suportado para objetos Windows (workpanel, menu,...).

Módulos seguem os mesmos conceitos de encapsulação de dados da Programação Orientada a Objetos, de forma que certo recurso somente pode ser acessado na KB se o mesmo for definido como Públicos, uma propriedade adicionada em cada objeto. Na aba Interface, permite visualizar os objetos públicos do tipo Service (Procedures, Data Provider, External Objects), Data (Transações, SDT, Business Components) e User interface (Webpanel, Master Page, WebComponents).

Na aba Diagrama temos uma visualização da interligação do Modulo com outros Módulos na KB.

Enfim, esse recurso esta na minha lista de mais importantes, e acredito que esses poucos parágrafos, despertou em você o mesmo que em mim, uma certa vontade de começar a usar isso.  Então vamos por a mao na massa.


RWD

Dia desses me perguntaram o que era Bootstrap, imediatamente me lembrei da minha mamãe me dizendo para colocar uma bota para não enfiar um estrepe no pé, duro né! que imaginação fértil.  Enfim, falando sério, o pessoal da Twitter inventou uma forma de fazer mágica nas paginas web, fazendo coisas inúteis desaparecerem de acordo com a dimensão da tela.  O que significa que uma pagina apresentada em um dispositivo pequeno deveria apenas mostrar o que é mais importante, eliminando-se o desnecessário, pelo menos para os usuários desses dispositivos.

Essa mudança também reflete algo inovador no Genexus, pois temos um novo editor de interfaces Web chamado de Abstract, que permite que se monte telas responsivas,  esse é o significado de RWD, Responsive Web Design.


Smooth Web Experiencie

A frase é impactante, e na prática representa um conjunto de características que em suma querem dizer o seguinte: não precisamos atualizar a pagina inteira somente porque o usuário pressionou um singelo botão.  Nada mais desejável não? Pois é, uma das características irritantes dos sistemas web é o excesso de comunicação entre browser e servidor, que faz com que qualquer virgula alterada na interface represente a necessidade de execução de alguma coisa no servidor, e pior, toda pagina se reconstrói, alias seria muito bom se evoluíssemos para uma Web Offline, com a qualidade da nossa internet aqui no Brasil seria um sucesso.

No modelo de interface web Smooth, o que temos é uma mudança radical na ordem de execução dos eventos no servidor, pois ao invés de termos a execução de START-USER EVENT-REFRESH-LOAD, toda vez que ocorre uma comunicação com o server, temos na pratica neste novo modelo apenas o USER EVENT disparado.  Como consequência, teremos uma comunicação mais 'rápida' e mensagens mais curtas trocadas com o cliente, o que significa maior velocidade.

Por outro lado, migrar todas as interfaces do seu sistema para o modelo Smooth não é coisa simples de ser feita, pois devido a mudança da ordem de disparo dos eventos, a maioria das interfaces deixaria de funcionar, pois para a carga dos Grids, Componentes, e outros controles, teríamos que programar o Refresh dos mesmos, conceito que não existia nos idos do já antigo Genexus Evolution 2 para traz.  Por essa razão temos uma propriedade Web Form Defaults que é marcada como Previous version compatible, para que permaneçamos protegidos na caverna, enquanto não sairmos a caça para implementarmos esse magnifico recurso.

Novos comandos, que falam por si só:
  - WebComp1.Refresh()
  - Grid1.Refresh()
  - Refresh()

Outro mecanismo implementado neste modelo permite que somente o conteúdo do Content Place Holder de uma Master page se altere, enquanto que o conteúdo da própria Master Page permanece fixo, evitando-se, por exemplo, que o menu do sistema seja constantemente reconstruído.  Alem das transições que trazem um efeito cinematográfico na mudança das paginas.

Outro recurso digno de um parágrafo são as Web Notifications, que possibilitam o envio de mensagens para as paginas dos usuários que as leem sem que se precise realizar Refresh na interface. O único problema até o momento deste recurso: somente para a versão mais recente do IIS.


For each [<BaseTrnList>]

Temos aqui um recurso impactante, mas não sob o ponto de vista de nossas aplicações, pois ja passamos pela dificuldade de apontar para uma certa tabela base no modelo, mas creio que essa nova sintaxe vai auxiliar não apenas na melhoria da performance da especificação dos objetos, mas tambem para a compreensão na aprendizagem do comando for each,  pois não precisamos mais pensar em tabela mínima estendida, basta apontar o para a transação que origina a mínima estendida, e veja ai que podemos definir uma List, ou seja, podemos definir mais de uma tabela base no for each.


Single Sign On com GAM

Que tal criarmos um provedor de acesso a sistemas no protocolo OAUTH, assim como o disponibilizado no Facebook, por exemplo, isso para ingressar em vários sistemas distintos com apenas um único login. Este é o recurso implementado e que ja esta a sua disposição, bastando aplicar o GAM e ajustar um par de propriedades.

Ao realizar o login em um sistema, se dispara o acesso ao Single Sign On e se tudo estiver correto, será possível utilizar outros sistemas, desde que estejam sob o controle do mesmo GAM, ingressando nos mesmos sem a necessidade de realizar novamente o login.



Offline SmartDevice Application

O recurso mais esperado pela comunidade com certeza era a possibilidade de uma aplicação SmartDevice executar desconectada da Web, isto porque o mundo real não tem Internet em todo lugar, e ao contrario, as aplicações precisam executar em qualquer lugar.

Este recurso entrega não apenas um banco de dados local instalado no dispositivo, mas tambem um interessante mecanismo de sincronização dos dados com o servidor, que pode ser executada automaticamente ou não, e assim atualizar as informações manipuladas na aplicação.

Se você ja desenvolve Smartdevices com Genexus, tenho quase certeza que ja estudou este recurso e o esta utilizando, por outro lado, se não desenvolve, então creio que esse é um bom ponto de partida e motivador para iniciar na plataforma Genexus Evolution 3.

  • Para saber mais:  


  • Alem desses recursos temos muitos outros, mas creio que para um inicio no estudo desta nova versão, ja trazem uma boa experiência.
    Que tal sair da caverna?





    *.   Imagem 1: Fonte: http://mancave.cbslocal.com/2011/09/06/evolution-of-the-mancave/
    **. Imagem 2: Fonte: http://www.sleepwarrior.com/the-cavemans-guide-to-quality-sleep